25/04/2010

Sobre a praia e a música dela...

, j

Hoje em Recife até que fez um solzinho e fui à praia com uma amiga (das grandes e das melhores). Sempre ficamos na mesma barraca. O rapaz já é conhecido, o atendimento é bom, tem chuveirão, a comida é boa e a cerveja é gelada, o que conta muito numa praia, né? Enfim... poderia ser perfeito se não fosse pela trilha sonora tocada lá. A sequência é sempre a mesma: revelação, parangolé, ou melhor, rebolation tion tion, e depois brega!


Confesso que esse não é muito o meu gosto musical. Eu gosto de um sambinha, um chorinho, uma coisa mais leve, e, às vezes, até gosto de um peso, tipo sambão mesmo, aqueles das escolas de samba, mas pagode acho muito meloso, sem falar que só fala de amor mal resolvido. Não dá mesmo! Mas, quando o brega começa, eu torço para que coloquem revelação de novo, porque, dentre os três, é o "menos ruim", para mim.


Só que hoje eu percebi que quando as coisas são muto ruins, ainda tem criatura viva que consiga deixar pior! Não sei se vocês já ouviram um brega (cantado por uma mulher que, como a maioria das cantoras de brega, canta gemendo) que tem o seguinte trecho: "vai devagar, que eu tô de salto", pois bem, fizeram uma respota para essa música, uma reaposta masculina que diz: "só vou devagar se for cabaço". Minha gente, isso é o cúmulo do mal gosto. E eu que pensei que não podia piorar!


Como alguém consegue comprar um CD desse e colocar em casa para ouvir? Dá pra apreciar esse tipo de música? Podem dizer que é preconceito, e é mesmo. Tenho preconceito com quem faz e com quem escuta isso. Não consigo entender mesmo. Antropologicamente falando, não relativizo de jeito nenhum!!! Doi no ouvido, doi de verdade! A voz dos "cantores" é péssima, a melodia nem se fala e a letra? Aff, preciso dizer mais nada, né? Logo eu, que sou amante de uma boa letra, quando me deparo com isso tenho vontade de chorar, falando sério!


Queria tanto levar meus CDs de Chico, Cartola ou Vinícius à praia, mas sei que a maioria esmagadora não ía gostar muito e mal acabasse a primeira música, ele me seria devolvido. Fico tão triste com essas coisas.


Sei que gosto é gosto e cada um tem o seu, só que é difícil de entender alguns que existem por aí...
Mas, para os amantes das boas músicas e do bom samba, deixo um trecho de uma lindo de Chico Buarque:

Samba da Boa Vontade

Viver alegre hoje é preciso
Conserva sempre o teu sorriso
Mesmo que a vida esteja feia
E que vivas na pirimba
Passando a pirão de areia




PS: para quem não sabe, "cabaço" é uma moça virgem pros lados de cá dos Pernambucos!

18/04/2010

Meu bom tempo!


um marinheiro lhe contou

que a boa brisa lhe soprou

que aí vem bom tempo


o pescador me confirmou

que um passarinho lhe cantou

que aí vem bom tempo


(...)


carregadinha de amor

vou que vou

pela estrada que dá numa praia dourada

que dá num tal de fazer nada



como a natureza mandou

vou

satisfeita, alegria batendo no peito


(...)



vou que vou

lá no alto

o sol quente me leva num salto

pro lado contrário do asfalto

pro lado contrário da dor...

15/04/2010

My Wonderland!



"... A senhora me desculpe, mas no momento não tenho muita certeza. Quer dizer, eu sei quem eu era quando acordei hoje de manhã, mas já mudei uma porção de vezes desde que isso aconteceu. (...) Receio que não possa me explicar, Dona Lagarta, porque é justamente aí que está o problema. Posso explicar uma porção de coisas mas não posso explicar a mim mesma..."
Seguindo o coelho branco...

12/04/2010

Alzira



Alzira bebendo vodka defronte da torre malakoff


Descobre que o chão do Recife afunda um milímetro à cada gole



Alzira na rua do Hospício



No meio do asfalto fez um jardim



Em que paraíso distante,



Alzira, ela espera por mim?




Alzira ô, Alzira ô,



Alzira ô, Alzira ô!






Porque essa vem sendo umas das preferidas há muito tempo e mais ainda neste momento!

04/04/2010

Das coisas do coração...


Não consigo imaginar o desamor. O simples fato de deixar de amar alguém que foi, durante muito tempo, uma das pessoas mais importantes da sua vida. Chego, em certos momentos, a não acreditar que isso é possível, mas aí logo vêm várias pessoas que, felizmente ou infelizmente, já passaram por isso e comprovam que sim! É realmente possível deixar de amar!!!

Sempre criei a ilusão, e confesso que ela ainda está em mim, que amor é para sempre. Talvez por isso que quando amei achei que ía passar o resto dos meus dias com essa pessoa, porque não conseguia admitir a hipótese de viver longe de quem amo e muito menos que deixaria de amar.

Mas, quando começamos a considerar a hipótese de não mais amar, nos deparamos com outra questão: quanto tempo dura para acontecer o desamor? Esquecer um amor ou acabar com ele dura muito? E a custa de quanto sofrimento? Enquanto assistia "Sex and the City", para ajudar a esquecer um sofrimento causado por um fim trágico de relacionamento, ouvi, de uma das personagens da série, a seguinte frase: para esquecer alguém você gasta, exatamente, a metade do tempo que você passou com ele (ou ela). Será? Será que para esquecermos alguém que passamos 1 ano precisamos de 6 meses? Se for assim, já me preparo para sofrer mais porque preciso de exatos 3 anos para tirar da lembrança um amor de 6.

Talvez deixar de amar não seja tão difícil. Com certeza seria bem mais fácil se não fôssemos tão apegados ao "estar junto" e às lembranças boas que tivemos, mas se nos desapegássemos disso, talvez fosse mais fácil deixar o amor ir...
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Layout: Bia Rodrigues | Tecnologia do Blogger | All Rights Reserved ©