31/12/2011

Chega mais, 2012!

Bem, por mim já tinha pedido a conta de 2011 há um tempinho, mas como ele só está indo embora hoje... Quero que você vá em paz, querido! Não fui muito feliz com você não, mas também não posso negar que ganhei pessoas lindas na minha vida durante esse ano.
Que chegue 2012 e que seja lindo, cheio de amores, cores, rosas e rimas para todos.


Cheiro de mato e muito carinho meu!

29/12/2011

de vidas passadas...

Da série cartas de amor (amor/amigo do coração) ...

Fazia tempo que queria escrever esse post para você e, na verdade, já o tentei fazer várias vezes, mas essas coisas de escrever sobre amor, comigo, não funciona forçado, tem que ser espontâneo. Então agora eu estou aqui, sendo bem eu e colocando meu amor, mais uma vez, na tela.
Não é novidade o meu amor, (re) encontrado, por você, mas o que mais me surpreende é ver, a cada dia, como a nossa sintonia é maior. Até os aprendizados, para não dizer 'coisas ruins', acontecem simultâneos em nossas vidas... deve ser algo da cultura felina que a gente desconhece.
Certo dia me peguei pensando se eu sabia o exato momento que comecei a te amar nessa vida e acabei me dando conta que foi naquele Agosto de 2009, pela primeira vez Agosto fazendo e trazendo coisas boas para mim. Lembro perfeitamente como fiquei encantada ao te ver abrir a boca e deitar falação para todo mundo. Na verdade esse encantamento é eterno,  não tem nada que goste mais em tu do que te ver/ouvir falar. Cada encontro, cada conversa que a gente tem são milhões de coisas que aprendo e isso só faz meu amor se manter mais firme e mais forte.
Uma vez, te lendo 'para trás', descobri que uma de tuas faces, a da lagarta, é devoradora de folhas de amora, meu chamamento carinhoso, e foi aí que percebi que, nem se eu quisesse (coisa que eu nunca quis), eu conseguiria fugir de tu e do teu amor porque ele está além das nossas vontades.
Depois que descobri o momento que esse amor voltou ao meu peito, parei para pensar no que o fazia continuar e, meu dEUS (assim como o teu), são tantos... É a paixão por felinos (nós), pela literatura (nós), por poesia (nós), pelo barroco (nós), por Chico (nós), por café (nós), e por tantas outras coisas que, a cada dia que se passa, mais e mais afinidades são encontradas.
Aliás, falando em Barroco, esse, depois dos felinos, seja talvez o nosso maior laço. Como as nossas vidas vivem nesses círculos que não se tocam, mas se repetem e como a gente tem essa natureza barroca, ambígua, que vive em constante mutação porque a gente aprende com os nossos erros e com os dos outros.
Agradeço todos os dias seja a dEUS, ao universo, à Bastet, quem quer que seja, pela tua presença nessa e em outras vidas passadas. E peço, todos os dias, que nas vidas que virão, eu volte a te encontrar.

Se todo mundo tivesse um amor/amigo como tu, amorinha minha, as pessoas seriam mais felizes e o mundo mais lindo!

23/12/2011

meu poemito dos outros...



poemito de Múcio Góes na pele agora!


http://traversuras.blogspot.com/2009/01/poemito.html


22/12/2011

Barafunda [C.B]

Era Aurora
Não, era Aurélia
Ou era Ariela
Não me lembro agora
É a saia amarela daquele verão
Que roda até hoje na recordação

Foi na Penha
Não, foi na Glória
Gravei na memória
Mas perdi a senha
Misturam-se os fatos
As fotos são velhas
Cabelos pretos
Bandeiras vermelhas
Foi Garrincha
Não, foi de bicicleta
Juro que vi aquela bola entrar na gaveta
Tiro de meta

Foi na guerra
É, noite alta
Gritou o astronauta
Que era azul a Terra
Quando a verde-e-rosa saiu campeã
Cantando Cartola ao romper da manhã

Salve o dia azul
Salve a festa
E salve a floresta, salve a poesia
E salve este samba antes que o esquecimento
Baixe seu manto
Seu manto cinzento
Foi Glorinha
Não, era Maristela
Juro que eu ia até casar na Penha com ela
A vida é bela

É, não é
Era Zizinho era Pelé
Aliás, Soraia era Anabela
Era amarela a saia
Foi quando a verde-e-rosa saiu campeã
Cantando Cartola ao romper da manhã
Salve o dia azul
Salve a festa
E salve a floresta, salve a poesia
E salve este samba antes que o esquecimento
Baixe seu manto
Seu manto cinzento
Era Aurora
Não, era Barbarela
Juro que eu ia até o Cazaquistão atrás dela
A vida é bela

É Garrincha, é Cartola e é Mandela

15/12/2011

do que seria a minha chatice

Sempre tive a fama de chata e, por muito tempo, acreditei que, de fato, eu era  mesmo, mas de um tempo para cá comecei a perceber que os motivos de ter ganho esse rótulo são outros:

Sou chata porque não faço tudo o que os outros querem.
Sou chata porque não como tudo que é tipo de comida.
Sou chata porque não aceito as injustiças que as pessoas fazem, principalmente as comigo.
Sou chata porque não pego papel de evangélica que se sente superior a mim e acha que está me fazendo um favor, me salvando pela simples entrega de um papel.
Sou chata porque falo o que penso e defendo isso até onde eu puder e conseguir.
Sou chata porque sou inteligente e não tenho a 'humildade' de dizer que sou burra para que os outros não se sintam mal por isso.
Sou chata porque sou eu mesma e a maioria das pessoas não costumam ser assim, elas mesmas.

Quer saber, estou cansada disso e para aumentar a minha fama de chata: "Vão tomar no cu todos"!!!

05/12/2011

do que seria uma ex-carta de amor...

Esse sim é para você...

Oi, amor, tudo bem? Então, faz tempo que a gente não se fala, né? Sei que não tenho atendido as tuas ligações muito bem, e nem é por raiva, a verdade é que não tenho nada para conversar com você, aliás, faz tempo que a gente não conversa, acho que isso nem acontecia mais em nossa vida conjugal.
Nem sei porque estou te escrevendo, talvez seja só a minha necessidade eterna de 'colocar sempre tudo para fora' e, como diálogo é algo inviável para nós dois, estou aqui jogando tudo na tela e sendo bem EU (rsrs).
Queria te dizer que acredito no teu amor, de verdade. Consigo vê-lo nos teus olhares, sejam os em que você está distante, me vendo segurar o rebento alheio, ou seja até naqueles em que, mesmo acompanhado, você me olha, desejando estar ao meu lado. O que eu não acredito mais é em nós dois e, muito menos, na sua vontade de ficar comigo, o que é até aceitável depois de tanto tempo juntos. Mas o que me deixa chateada contigo, amor, é a sua insistência em não me deixar ir, o que só me magoa e me faz, às vezes, colocar em cheque esse sentimento teu, porque, afinal, amar é querer a felicidade do outro e a minha não é mais ao teu lado há muito tempo. Para ser sincera, eu sonho com dia em que a tua felicidade venha ao me ver feliz.
Quero te dizer que te amo muito também e não tenho vergonha de dizer isso, muito pelo contrário, amar é uma coisa que me faz ter muito orgulho. Eu sou um ser humano melhor porque amo e você, talvez, seja quem mais sabe disso :). Mas fico triste ao saber por segundos, terceiros e quartos que você prega uma infelicidade por aí e responsabiliza a minha ausência. Querido, você precisa reagir à vida, crescer, e se tornar, de verdade, um homem, porque aí, amor, você vai ser capaz de fazer qualquer mulher nesse mundo feliz. E espero que o meu sofrimento tenha servido de aprendizado para você, que não tenha sido à toa. Portanto, pare, pense, descubra o que te faz feliz e vá lá com toda a força e determinação que eu sei que você tem (se sei rsrs). Vá atrás da sua felicidade, meu bem, é o que te desejo lá do fundo do meu coração pequenininho, bonzinho e amarelinho.
Se te ajuda, eu estou feliz e espero que você consiga ficar também.

O mais sincero abraço e o mais amoroso beijo que você já recebeu.

Amarelinha, a eterna Luz dos Olhos.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Layout: Bia Rodrigues | Tecnologia do Blogger | All Rights Reserved ©