09/08/2013

máquina de escrever o amor...

Comprei essa linda bem velhinha e acabadinha. Lixei, pintei, decorei e agora só falta comprar as fitas para usá-la à vontade. Mas ainda falta dar um nome... aceito sugestões ;)







PS: Saudade disso aqui ♥

17/07/2013

foto de volta ;)

Passando rapidinho para dizer que não esqueci da casinha não, só que ando cheia de coisas. Mas ainda estou aqui e lembro de vocês every day.
Cheiro de mato e muito carinho meu.





24/06/2013

21/06/2013

Vandalismo? Acho que não!

Com esses protestos só escutamos duas coisas: VANDALISMO e SEM VIOLÊNCIA! Confesso a vocês que nunca fui adepta do quebra-quebra para fazer movimentações não, mas desde que tudo começou, escutei muito e li algumas coisas sobre o porque de ter 'violência'. E, assistindo o NETV hoje, especialmente o momento que Hugo Esteves fala da ação dos vândalos na Prefeitura do Recife, informando que os presos pelo vandalismo tiveram a fiança no valor de R$10.000 e, como não tinham dinheiro para pagar, foram encaminhados diretamente ao Cotel, me lembrei de um fato que aconteceu com a minha família.
Meu tio, irmão da minha mãe e a quem eu chamo de pai, mora próximo a nossa casa com uma mulher que, quando bebe, sai na rua à procura dele e fica dando escândalo. Um belo dia ela veio aqui em casa, bêbada, e começou a gritar e xingar a mim e a mainha. Passamos quase 2h trancadas dentro de casa porque ela, do lado de fora, quebrava tudo o que encontrava no terraço e jogava os destroços contra a porta da sala. Durante essas 2h ligamos insistentemente, tanto nós quanto os vizinhos, para a polícia e as atendentes só informavam que 'no momento todas as viaturas estão em ação'. Quando finalmente as 'autoridades' chegaram, viram nosso terraço em frangalhos e perguntaram o que tinha acontecido; informamos e acabamos todos indo à delegacia. Mainha prestou queixa e pasmem, meus caros, o TCO não saiu com a acusação de vandalismo; e o pior, depois de 7 meses houve a audiência e sabem qual foi a pena da meliante? Fazer trabalho comunitário numa escola do bairro: durante 1 ano ela vai 1h por dia na escola auxiliar no que tiver. Agora eu pergunto a vocês: porque essa criatura que quebrou a minha casa e ofendeu e ameaçou a mim e a minha mãe doente, vale ressaltar, não é vândala e teve contra ela apenas um TCO, enquanto essas pessoas que estavam na rua, protestando contra esse país de impunidade e corrupção, são tachados como vândalos, têm uma fiança de R$ 10.000 e vão direto para o presídio? Qual a lógica disso tudo, meus caros?
Depois de todos esses acontecimentos e algumas poucas reflexões eu digo a vocês que eu acredito que a violência seja necessária para surtir efeito numa sociedade que é anestesiada. Ontem vi nas ruas muita gente que só queria participar de algo, sem importar pelo que esse 'algo' lutava; gente que só queria uma foto com a cara pintada para postar nas redes sociais; gente que segue uma moda e não podia ficar de fora da moda do protesto. Mas também vi alguns 'vândalos' e 'marginais' que sabiam o que estavam fazendo ali e, principalmente, sabiam como fazer e, infelizmente, ou felizmente, sei lá, a violência é necessária. Só levamos 52.000 pessoas às ruas ontem porque uma semana antes os manifestantes de SP apanharam e sofreram nas mãos de policiais e porque nesse Brasil só enxergamos as coisas quando elas tem cor, cheiro e gosto de sangue.
Então sim, meus amigos, precisamos de violência e precisamos de vândalos pois foram eles que em 64 se armaram, foram às ruas, lutaram e morreram para garantir que hoje nós possamos ir às urnas votar, mesmo que seja em políticos corruptos.
Agora deixo vocês com um texto de altíssima qualidade, o Vandalismo por Direito, para vocês entenderem bem o porque de 'Ter Violência'!

17/06/2013

Por um país que vale mais que 0,20

Nossa, faz tempo que não venho aqui, mas é que estou muito ocupada esses dias. É muito trabalho e muito estudo, estou debruçada nos livros para tentar o Mestrado no final do ano. Mas enfim, não é para isso que vim aqui, quero mesmo é falar dos últimos acontecimentos do nosso país.
Não me surpreende a reação da polícia, muito pelo contrário. Não sei se vocês se lembram, mas Recife em 2005 passou por isso e eu estava lá. Corri da polícia com suas bombas de gás lacrimogênio e balas de borracha e meu namorado acabou preso por bater palmas, isso mesmo, BATER PALMAS, e no TCO ainda foi chamado de vândalo. Então, meus caros, o que a polícia fez nos últimos dias em SP e RJ não me surpreende nem um pouco.
Também não é surpresa para mim a forma como a mídia lida com essas coisas. Não é novidade que, até um jornalista ser agredido e/ou preso, eles tratam os manifestantes como vândalos, marginais e outras séries de palavras que denigrem e, principalmente, deturpam o movimento.
Agora, meus amigos, o que de fato me chocou foi a forma como algumas pessoas, ditos intelectuais, se mostraram bem reacionários, e olhe que não estou falando de nenhum Arnaldo Jabor porque isso não é surpresa para ninguém, falo de conhecidos e até de amigos que acham 'que 0,20 é uma quantia irrisória e não justifica todo esse vandalismo'. A essas pessoas queria dizer que não é por 0,20, é pelo direito de ter direito numa pseudo democracia; pela obrigação de não calar diante de tantos insultos à nossa inteligência e até à nossa humanidade; pela vontade de formar um lugar melhor para nossos filhos, netos, bisnetos; por respeito a todos os brasileiros que lutaram para que hoje pudéssemos ir às urnas e escolher nossos representantes; é para ensinar àqueles que usam farda e que agem com a força do braço o poder dos que agem com a cabeça; é para mostrar aos que 'estão' no comando que não nos calamos diante de tudo, que temos voz e que gritamos alto; para dizer que os caras pintadas deixaram um legado e que somos um povo com história e memória; é, principalmente, porque estamos cansados e chegou a hora de mudar.
Então para você que ainda acha que é por 0,20 eu só posso lamentar e convidar para dia 20/06/13 você conhecer de perto os vândalos que querem mudar o país.
O gigante acordou, meus caros, e vocês vão ficar só olhando a história ser feita ou vão escolher participar dela? Vem pra rua!

31/05/2013

Feriado ♥

Ontem tive um diazinho de folga e fui dar uma passeada pela linda Recife com o namorado. Depois de passear fomos ao cinema São Luiz e assistimos um filme ótimo, um francês chamado 'E agora, aonde vamos?' que super indico para vocês. Para quem ainda desconheça o São Luiz, ele fica na Rua da Aurora, quase de esquina com a Cde. da Boa Vista, é lindo, e agora tombado pelo Patrimônio Histórico, e os ingressos custam 4,00 inteira e 2,00 meia, ou seja, só não vai quem não quer.
Abaixo fotinhas que tirei ontem :)

 Amo esse piso do Studio do meu tatuador :)

 'O homem e o caranguejo' ou apenas Tiago.

 Lííííííííííngua :P

A gente em pés e grama ;)

28/05/2013

Resenha: The Help

 

Não sei se já comentei com vocês aqui no blog, mas, para mim, o cinema é mera diversão, deixo minha intelectualidade toda a serviço da Literatura. Não sou dessas que gosta de assistir filme de arte ou que vê grandes filosofias nas obras de Woody Allen. Não! Eu gosto mesmo é de comédia romântica, não daqueles 'besterois americanos', tipo American Pie e outros. Gosto é da água com açúcar, do melado romântico, daquela velha fórmula onde o casal passa por perrengues para no final vir a grande cena do casamento e do 'felizes para sempre'.
Admiro quem consegue ir ao cinema da Fundação e discutir a beleza nos filmes de Ingmar Bergman (cineasta preferido da juventude cult e pseudo cult de Recife), mas eu não consigo. Gosto mesmo é de baixar minhas comédias românticas, entrar embaixo do edredom e pegar uma caneca de sorvete. Pronto! Isso para mim é meu ideal de cinema.
Mas esse domingo último eu assisti um filme que até fugiu dos meus padrões, talvez a presença do meu namorado (que não gosta do meu gênero preferido) ajudou nisso, porque quando vamos assistir filmes juntos sou meio que forçada a escolher outros gêneros. Pois bem, assistimos 'The Help' e minha ignorância cinematográfica me permitiu desconhecer o fato de que esse filme foi indicado ao Oscar em 2012 e que ganhou o prêmio de melhor atriz coadjuvante.


Decidi baixá-lo porque tratava da luta pelos Direitos Civis nos EUA e esse é um tema que me apetece, independente de onde venha representado, e acabei me surpreendendo com o fato de não chorar, porque esse tema sempre me abala, mas muito pelo contrário, até que eu ri consideravelmente, principalmente na parte da tora de chocolate :). O Filme é lindo, é um drama que tem duração de 2:35 min, mas você nem percebe de tão fácil que flui. O tema principal é a questão das empregadas domésticas nos EUA, especificamente no Estado do Mississipi, e tem como plano de fundo a Luta pelos Direitos Civis, Martin Luther King e a KKK e, apesar de se tratar de uma tema tenso, ele passa leve na tela.


O enredo gira em torno do livro 'The Help' escrito, anonimamente, pela jovem branca, Skeeter Phelan que decide abordar o tema das empregadas domésticas negras e, para isso, conta com a ajuda de duas representantes da classe: Aibileen Clark e Minny Jackson (interpretada pela atriz Octavia Spencer, ganhadora do Oscar de melhor Atriz Coadjuvante em 2012). O lançamento do livro causa o maior zum zum zum na cidade com direito até a demissões de uns e admissões de outros.
Não vou contar mais porque sou contra spoilers, mas super indico para quem ainda não assistiu e, mesmo aqueles que não gostam do gênero drama, garanto que vão se encantar com The Help.

Abaixo o trailler oficial para vocês darem uma expiada :)



25/05/2013

me by myself ou instagram da semana


 Estudos, leituras e gatos, é nisso que tá se resumindo a minha vida :)





17/05/2013

resenha: o diário de anne frank


Essa semana terminei de ler, depois de quase 2 meses, 'O Diário de Anne Frank'. Sempre quis ler esse livro, mas tinha algumas restrições porque tudo que trata da 2ª Guerra, Holocausto e Nazi-facismo me deixa muito mal. Depois de anos querendo ler, finalmente criei coragem, comprei o livro na Estante Virtual e comecei a ler. Por conta do trabalho, demorei muito para terminá-lo; foram quase 2 meses para ler algo que antes lia em, no máximo, 3 semanas, mas finalmente terminei e, como suspeitava, fiquei muito mal. Chorei demais quando cheguei na última página, mas isso já era de se esperar, vindo da minha pessoa. 


Mesmo quem não leu sabe que o livro virou, também, um documento histórico. Anne, em alguns momentos, narra com riqueza de detalhes costumes do Führer, da Gestapo e dos Judeus, o que eles faziam para driblar as prisões e conseguir sobreviver nos tempos de guerra.
O livro é narrado em primeira pessoa por Anne Frank, uma menina alemã e judia que, por causa da 2ª Guerra, teve que se mudar para a Holanda com sua família: o pai Otto, a mãe Edith e a irmã Margot. Quando sua irmã recebe a convocatória para o campo de concentração, a família Frank foge para um esconderijo na fábrica onde Otto trabalhava. Eram muito comum os esconderijos durante a II GM e no 'Anexo Secreto' (como Anne costumava chamar o esconderijo) além da família de Frank, ficaram mais 4 pessoas (a família Van Pels e Fritz Peffer, a quem Anne dá outros nomes no seu livro). Eles passaram 2 anos no Anexo, vivendo constantemente com o medo de serem descobertos e denunciados e foi nesse período que Anne escreveu seu famoso diário que, posteriormente, virou livro.


No diário, a jovem judia trata de vários assuntos, como a difícil relação com a mãe, o amor e admiração pelo pai, as dificuldades de uma adolescente em viver escondida, a paixão pelo companheiro de esconderijo, Peter Van Pels, a convivência nada amigável com os outros membros do Anexo e, claro, o medo de ser descoberta e mandada a algum campo de concentração.


Em 4 de agosto de 1944 os moradores do Anexo Secreto foram presos, possivelmente denunciados, e deportados para Auschwitz (o mais famoso campo de concentração nazista, localizado na Polônia). De todos os moradores do Anexo, Otto Frank foi o único sobrevivente, Anne morreu em março de 1945 em Bergen-Belsen devido a uma epidemia de febre tifo, assim como sua irmã, semanas antes do acampamento ser libertado pelos ingleses. Depois da guerra acabar seu pai voltou para a Holanda e teve ajuda das mesmas pessoas que o ajudaram durante o tempo do Anexo: Jan e Miep Gies, assim como Victor Kugler, Johannes Kleiman, Bep Voskuijl e Johannes Voskuijl.


Foi Otto Frank quem encontrou o Diário de Anne e se dedicou a tornar realidade o sonho de sua filha, mesmo depois de morte, que era mostrar ao mundo o que tinha escrito no tempo que viveu escondida do regime Nazista.
O livro é lindo e eu super indico para vocês lerem, mesmo para quem seja sensível a esses temas, como eu.

14/05/2013

câncer, angelina jolie, mainha... eu!

A notícia do dia foi a Mastectomia radical da Angelina Jolie, se vocês não leram ou não viram nada sobre o tema, coisa que eu acho muito difícil, vocês podem ler aqui, e todo esse zum zum zum em volta da cirurgia da atriz me fez parar para escrever sobre algo que eu já pensava há muito tempo.
É muito comum nos Estados Unidos as pessoas fazerem um mapeamento genético para descobrir as doenças que possivelmente terão e, por causa disso, algumas mulheres estão fazendo Mastectomia radical (retirada completa da Mama e das glândulas da axila) e Histerectomia (retirada o Útero) para, poderem assim, evitar Câncer de Mama, de Ovário e do Cólo do Útero.
Já faz um tempo que conheço esse 'costume' americano, até porque assisto algumas séries médicas e esse tema é recorrente, e sempre achei algo MUITO radical. Mas, numa conversa sobre isso no facebook, expus minha opinião e uma pessoa me perguntou se eu, no lugar dela, não faria o mesmo e a minha resposta foi apenas uma: NÃO!
Meus caros leitores, minha história é a seguinte: meus avós maternos morreram de câncer, meu pai biológico tem câncer de próstata e minha mãe, como vocês bem sabem, tem câncer de mama pela segunda vez, inclusive esse segundo apareceu na mesma mama que ela retirou totalmente, ou seja, na que sofreu uma mastectomia radical. Se eu terei câncer? Provavelmente sim. Se eu fizer esse mapeamento genético, não tenho dúvidas que minhas taxas indicarão um alto nível para desenvolver a doença, mas se eu faria uma Mastectomia e/ou Histerectomia preventiva? NÃO! Por quê? Por várias razões, mas a principal mesmo é que apesar de ser uma cirurgia 'preventiva' não elimina o risco de aparecer o câncer, diminui, é claro, mas não elimina e acho que essas cirurgias são uma mutilação prematura, porque a retirada de uma mama e/ou de um útero é um processo muito traumatizante e mexe bastante com o psicológico da mulher, especialmente se elas ainda não tiveram filhos.
O que eu fiz para prevenir essa doença? Mudei meu estilo de vida, passei a me alimentar melhor, comer menos produtos industrializados, beber bastante líquido, fazer exercícios físicos, ou seja, estou tentando, a cada dia, ser o mais saudável possível. Esse foi o conselho da Oncologista da minha mãe que me explicou que doenças como o Câncer eram para aparecer daqui há algumas centenas de anos, mas como nós comemos tantas porcarias, tantas comidas industrializadas e cheias de agrotóxicos, elas apareceram como surto há alguns anos e se nós não tratarmos de mudar, meus amigos, a coisa só tende a piorar. 
Não vou dizer a vocês que eu não tenho medo de ter câncer, tenho sim e muito. Gostaria mesmo de não ter nunca essa doença, mas se um dia, infelizmente, eu venha a ter, espero que eu saiba enfrentar a doença com a força e garra que a minha mãe enfrentou e está enfrentando, mas sem retiradas precipitadas de nenhuma parte do meu corpo.
 Lembrando também que não podemos esquecer de fazer sempre acompanhamento com Ginecologistas e Mastologistas porque quanto mais cedo for o diagnóstico da doença, maiores são as chances de cura.

Saúde.

look dia das mães

Já tinha postado para vocês as fotos do Dia das Mães, mas agora posto o look :)

Vestido C&A R$ 59,90; Sapatilha Leader R$ 39,90; Bolsa herança de mainha :)



Óculos House of Sunglasses US$ 19,00 (depois faço um posto sobre esse site que eu ♥)

12/05/2013

recife, pontes, céu de maio e mainha ♥

Cheguei com as fotos do passeio de catamarã que eu e mainha fizemos pra comemorar o Dia das Mães. O percurso foi por 7 pontes da Cidade de Recife e não é porque é a minha cidade não, mas Recife é muito linda :)

 Vista do Restaurante Catamarã

 Ponte Buarque de Macedo

 Ao final: Brasília Teimosa

 Eu

Paço Alfândega 

Rua da Aurora 

Minha carequinha linda ♥ 

 A gente e nosso amor

Encontro dos Rios Capibaribe e Beberibe 

Mais eu :) 

Palácio do Campo das Princesas 

Palácio do Campo das Princesas 

Rua da Aurora 

 Ponte Duarte Coelho

dia das mães ♥



Feliz Dia das Mães para todas essas mulheres que escolheram, mesmo que inconscientemente, dividir o que elas têm de melhor com alguém.
Feliz Dia das Mães especialmente para a minha por sem que é: meu exemplo, meu porto seguro, meu orgulho.
E Feliz Dia das Mães para mim que, além de ser mãe de felinos lindos, nesse momento da minha vida sou mais mãe que filha.

Logo mais eu vou fazer um passeio de catamarã bem lindo,  passando pelas pontes de Recife, com mainha e depois posto as fotos aqui para vocês verem.

Um bom domingo e um bom dia para mães e filhos.

11/05/2013

10/05/2013

veja bem, não é preconceito não...


Ontem estava eu no banheiro do trabalho e lá tinham também duas moças conversando sobre um fato que uma delas presenciou em uma rede de lojas famosa, mas que prefiro não citar o nome. Mariazinha (nome fictício) contava que uma senhora comprou uma série de roupas, mas que a caixa esqueceu de tirar o lacre de segurança e quando a senhora estava saindo da loja o alarme disparou e os seguranças a abordaram de uma maneira nada educada.
O espanto de Mariazinha era porque estava na cara da senhora que ela não pretendia roubar, afinal de contas, ela não tinha cara de ladra e, muito menos, se vestia como tal; tudo isso repetindo, várias vezes, a seguinte frase 'Veja bem, não é preconceito não!'. Eu, claro, fiquei calada e procurei terminar o meu xixi o mais rápido possível para não ter que ouvir mais aqueles despautérios, porque estava em tempo de me dirigir a ela e dizer que essa 'simples opinião desprovida de preconceito' é fruto de um povo que renega suas origens e julga as pessoas de maneira superficial; Que vivemos num país onde a 'raça' e, principalmente, o caráter são definidos pelo tom da pele; Que nossa sociedade machista permite nos sentirmos em segurança na presença de mulheres porque as julgam fracas e, consequentemente, sem capacidade para o furto ou qualquer outros delitos, a não ser que essas sejam negras e 'mal vestidas'; Que aprendemos, mesmo que subconscientemente, a ter medo das pessoas que são negras, pobres e, mais uma vez, 'mal vestidas' e identificá-las com essa chamada 'cara de ladrão'; Que essas pessoas vivem à margem da sociedade não porque querem, mas porque isso lhe foi imposto desde a época da Lei Áurea; Mas, principalmente, queria dizer a ela que preconceito indica um 'conceito ou opinião formados antes de ter os conhecimentos adequados' e que ela ao julgar quem tem, ou quem não tem, cara de ladrão está sendo SIM preconceituosa, mas que infelizmente ela só comunga de um pensamento que é maioria, que lhe foi ensinado, mesmo que inconscientemente, desde criança e que ela, pelo andar da carruagem, repassará para os filhos.
De fato eu queria ter dito tudo isso, mas não disse nada, muito pelo contrário, saí do banheiro muda e pensativa e, o máximo que consegui fazer, foi escrever esse texto, meus caros leitores.

08/05/2013

10 quartos coloridos e lindos

Faz um tempo que tenho uma pasta de 'Decoração' no meu arquivo e hoje, dando uma olhada básica, selecionei 10 quartos coloridos que me servem como fontes de inspiração. É engraçado que adoro passear por sites e blogs de decoração, principalmente nos dias que estou down; eles me ajudam a melhorar o ânimo e humor. :)



 







 





Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Layout: Bia Rodrigues | Tecnologia do Blogger | All Rights Reserved ©