18/09/2015

Minas Gerais - parte 01 - Ouro Preto

Nossa, ando tão sumida daqui que nem sei se vocês me leem ainda. Foram muitas cosas nesses 02 meses de ausência que fiquei off daqui, mas voltei e prometo que tentarei manter a frequência dos posts e das visitas nesta casinha que me é tão especial e pela qual eu tenho tanto amor e carinho.
Chegou Setembro já e com ele não apenas a primavera, mas também as minhas férias que eu amo tanto de paixão! Neste ano eu realizei um sonho antigo, tão antigo que acho que era de vidas passadas. Fui pra Minas Gerais! Foram 06 dias de viagem: 04 em Ouro Preto e 02 em Belo Horizonte.
Quando cheguei em Ouro Preto, me arrepiei toda porque realizar sonhos é algo muito especial, ainda mais para mim que nunca fui de ter muitos. Eu sempre quis conhecer essa cidade que foi e ainda é tão importante para a história do Brasil e, no momento que coloquei os pés lá, foi como voltar no tempo, sabe? É incrível a sensação de máquina do tempo que essas cidades históricas possuem. Senti a mesma coisa no Rio de Janeiro quando andei pelas ruas do centro, especialmente pela Rua do Ouvidor. Nossa, quanta emoção!
Para mim viajar está ligado diretamente a estudar e aprender. Não consigo conceber essas viagens que as pessoas vão apenas para comprar e comprar. Não! Não mesmo! Viajar, na minha visão, é adquirir conhecimento e cultura e, em 04 dias em Ouro Preto, eu aprendi mais do que aprendi em 13 anos de colégio. Eu só consigo agradecer ao universo a oportunidade de me permitir isto.
Bom, agora que já matei a saudade de escrever para vocês, vou postar as fotos e dividir, nem que seja um tiquim, essa experiência maravilhosa. Vou dividir a viagem em 02 partes: a primeira é sobre Ouro Preto e a segunda sobre Belo Horizonte. Vamos lá?

Para começar, vamos à hospedagem...
Ficamos na Hospedaria Antiga, que era a casa do antigo Comendador de Ouro Preto, Xavier da Veiga (nome da rua onde fica a hospedaria). É um casarão histórico que é herança de família, o atual dono é a 5ª geração da família e mantém quase tudo como original, inclusive 80% da mobília é original dos tempos do comendador. Nessa casa funcionou a primeira tipografia de Minas, inaugurada pelo próprio comendador Xavier da Veiga e também foi, por muito tempo o arquivo público do Estado de Minas Gerais. O serviço da hospedaria é de primeira, todo mundo muito simpático, atendimento nota 10, lugar acolhedor, café-da-manhã de primeiríssima qualidade e possuem até uma cachaça própria que fica à disposição para prova na recepção.

Essa é a frente da Hospedaria. Linda, né?



Aqui vocês podem ver mais um pouco dela, tanto por fora como por dentro.

O comendador tinha 06 filhas e cada uma tinha seu quarto. Eu fiquei hospedada no Lourencina. Hoje nesta parte da casa só funcionam 04 quartos porque 02 foram transformados em banheiros para as suítes da hospedaria.

Foram 04 dias em Ouro Preto e muitas fotos, vou tentar resumir para vocês e mostrar pontos específicos e que acho legal todo mundo ir, se é que dá para escolher algo de melhor nessa cidade tão maravilhosa.

Para iniciar, a Igreja de Aleijadinho. Para ir da Hospedaria antiga basta subir a ladeira bem em frente, Rua das Mercês, onde fica a maior concentração de Repúblicas da cidade. Nesta Igreja estão a grande maioria das obras do artista e a visitação custa R$10,00, com meia para idosos e estudantes.


Bem em frente à Igreja fica a feirinha de Pedra Sabão que é fixa e funciona todos os dias de 8h às 19h. Tem cada coisa linda nessa feira e os preços são bem acessíveis. Aconselho a quem for levar bastante dinheiro porque dá vontade de comprar TUDO! rsrsrsr



Mais à frente da feirinha de pedra sabão, fica a casa onde morou, por 04 anos, Tomás Antônio Gonzaga. Eu me emocionei muito quando soube isso, gente! É como se você pudesse, de fato, tocar na Literatura.


Subindo esta rua, Rua Carlos Manuel da Costa, onde fica a casa de Tomás Antônio Gonzaga, você chega à praça Tiradentes, onde fica a estátua do mesmo e o Museu da Inconfidência.


Essa é a Praça Tiradentes e esta é a estátua dele. Foi neste local que sua cabeça ficou exposta até ser decomposta para servir de exemplo a quem quisesse seguir os mesmos passos do inconfidente e se rebelar contra a Coroa Portuguesa.
Descendo a rua lateral da praça, você encontra várias lojas vendendo artesanato local, algumas poucas lojas vendendo doces e cachaças e restaurantes e bares. Falando em bar, quero indicar 02 para vocês, o pub porão, que tem no cardápio mais de 30 cervejas artesanais e uma iguaria típica e deliciosa, o pastel de angu que é coisa dos deuses. O outro é o Satélite que além de bar é pizzaria e que nos finais de semana fica cheio de gente bebendo e conversando.


Este abaixo é o Museu da Inconfidência. É emocionante! Nele você encontra peças históricas como um tronco onde os escravos eram açoitados. Aviso logo que para quem tem raízes africanas fortes, é chocante demais ver este tronco. Nele também encontram-se a primeira edição de Marília de Dirceu que eu, sensível como sou, chorei ao ver. É a Literatura ao alcance das minhas mãos e dos meus olhos. No Museu você também vê a sentença de Tiradentes, cruel como poucas. Na parte superior do museu você encontra peças de mobília histórica, bem como algumas peças de Aleijadinho e outros escultores barrocos da época.
A visitação custa R$10,00 e meia para idosos e estudantes.



Descendo pela lateral do Museu da Inconfidência, você chega à Igreja do Carmo e, ao lado dela, o Museu do Oratório. O museu é lindo, são 03 pavimentos com vários oratórios do século XVII ao XX. Para visitar a Igreja você paga uma valor de R$10,00, com meia para estudante, e para o museu é R$5,00 e estudante e idosos é R$2,50.


Esse é o Museu do Conto que, anteriormente, era a casa de contratos, responsável pelo recolhimentos dos impostos. Dentro dele você pode seguir por um caminho incrível, o horto dos contos. É um caminho cheio de natureza e que você nem se lembra que está dentro de uma cidade. O caminho do horto dos contos é de graça e você pode entrar pelo museu, pela rodoviária ou pela Igreja da Glória.



Esse é um pedacinho do Horto dos Contos. Dentro dele tem quadra de futebol, banquinhos para pique-nique e estudos e até uma cachoeira linda demais. É um pedaço ainda mais mágico dentro de uma cidade fantástica.


Subindo a rua do Museu dos Contos, você chega às lojas de comidas e bebidas. São inúmeras lojinhas, vendendo queijo, goiabada, doce de leite e, claro, cachaça. Outra dica que dou é para você se preparar para gastar o que tem e o que não tem porque é impossível resistir às delícias mineiras. Tudo de primeira qualidade e super delicioso, gente!






Agora a coisa mais legal que eu fiz nessa cidade e nessa viagem foi o passeio de trem de Ouro Preto para Mariana. Mariana é uma das cidades históricas mineiras e foi a primeira capital do Estado. Durante o aniversário da cidade, Mariana vira, simbolicamente, capital de Mina Gerais por um dia.
A viagem de uma cidade a outra dura cerca de 1h e o trem da Companhia Vale do Rio Doce vai numa velocidade de 20km/h que é para você ver a paisagem encantadora durante a viagem. O valor da viagem de trem custa R$40,00 e R$ 20,00 (inteira e meia respectivamente) em vagão convencional e R$60,00 e R$30,00 (inteira e meia) em vagão panorâmico, todo de vidro.
De Ouro Preto para Mariana você pode ir de ônibus de linha que custa R$3,40 e a viagem dura 30 minutos. Mas vale muito a pena fazer a viagem de trem porque é muita lindeza o caminho todo.





Como vocês devem saber, Minas Gerais é cheio de minas de extração de minério e ferro e Ouro Preto tem 03 minas de ouro desativadas, permanecendo apenas para visitação do público. Infelizmente não fui a nenhuma delas porque no dia que marcamos de ir, a cidade estava parada por causa do clássico Atlético e Cruzeiro. Mas não tem problemas, pretendo voltar outras tantas vezes a essa cidade linda e as minas estarão, com certeza, no meu roteiro. O valor da visitação é R$50,00 inteira e R$25,00 meia para idosos e estudantes.

Antes de encerrar esse post de puro amor e felicidade, quero dizer a vocês que levem agasalho para Ouro Preto porque a cidade é alta e, mesmo no verão, faz frio. Eu que sou do nordeste e do calor morri de frio lá. Outra dica importante é o transporte para a cidade. Você pode pegar um ônibus de linha na rodoviária de BH, que custa R$29,30 e tem duração de 2h de viagem ou pode pegar um carro lotação. Esses carros ficam do lado de fora da rodoviária e cobram R$30,00 para te deixar na porta da pousada/hotel/hostel. É super seguro e o mesmo carro que você pega para ir pra Ouro Preto, você pode pegar para voltar. Voltamos nesse transporte e ele nos deixou na porta do hostel que iríamos ficar em Belo Horizonte com um acréscimo de R$5,00 a mais. Foi super seguro e confortável, sem falar na praticidade.

É isso, gente! Espero que vocês tenham gostado do post, da viagem e das dicas. Ouro Preto é linda e vale muito a pena ser conhecida.
Bejinhus!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Layout: Bia Rodrigues | Tecnologia do Blogger | All Rights Reserved ©