11/03/2013

de tatuagens e de coisas sérias

('Com açúcar, com afeto' - de Chico e de amor)

Decidi falar hoje sobre uma arte que eu admiro muito e sou muito adepta: a tatuagem. De uns anos para cá ela se propagou muito, virou 'modinha', apareceram mais e mais estúdios, o preconceito diminuiu, a informação sobre os riscos de fazer num estúdio sem qualidade ficaram mais acessíveis, mas ainda tem uma galera que desconhece o perigo de se fazer uma tatuagem num lugar sem qualidade e que não seja regulamentado pela Vigilância Sanitária. O risco principal é se contaminar com as agulhas, caso não seja um estúdio de qualidade que não use materiais descartáveis, e contrair algumas doenças transmissíveis pelo sangue, como Hepatites e até Aids. Outro fator importante na procura por um bom estúdio é que tatuagem é algo que vai ficar no seu corpo para sempre, então a qualidade do profissional que vai fazer é de suma importância, né?!
Eu mesma tenho uma experiência nada legal com isso para contar a vocês. Eu sempre quis fazer tatuagem, sempre achei lindo e ficava insistindo para a minha mãe me deixar fazer, mas ela não permitia porque eu era muito nova e tinha medo que atrapalhasse na minha carreira profissional. Ela até me deixou colocar um piercing porque não era algo definitivo, quando eu não quisesse mais usar bastava tirar e pronto. Coloquei meu primeiro, uma madonna (bolinha) no queixo, com 16 anos e tenho até hoje, aliás não consigo me ver sem esse piercing, ele já faz parte de mim, é como se fosse um sinal que nasceu comigo e pra sempre vai ficar (ou não rsrs). Depois de insistir muito e quando me tornei 'maior de idade' minha mãe permitiu que eu fizesse uma tatuagem e eu já sabia o que queria fazer, um gato, minha maior paixão, mas não sabia onde fazer e tinha o problema do dinheiro, afinal tatuagem de qualidade é algo muito caro e eu não trabalhava, só estudava, e não tinha dinheiro para bancar uma feita num estúdio bacana.
Um belo dia mainha estava na praia e passou um rapaz fazendo tatuagem de henna, ela perguntou se ele fazia definitiva, ele respondeu que sim e ela marcou um dia e uma hora para ele ir na nossa casa nos tatuar. O rapaz usou material descartável, mas ele não era um tatuador de qualidade, muito pelo contrário, além de faltar talento ele ainda tinha uma condição de trabalho bem precária, mas como eu estava tão louca para fazer minha primeira, tatuei com ele mesmo. Fiz um gato preto com uma lua ao fundo e mainha tatuou a sobrancelha. No começo eu adorei, afinal de contas era um dos meus sonhos se tornando realidade, mas com o tempo pude perceber a 'bela porcaria' (perdoem a expressão, mas é a a pura verdade rsrs) que ficou, não só a minha, mas a de mainha também.
Depois de um longo tempo e de ter aprendido com essa 'má' experiência, decidi fazer a segunda, mas aí procurei um estúdio legal e com um tatuador que eu conhecesse o trabalho. ´Nesse momento eu já tinha um emprego e podia pagar por um trabalho de qualidade e acabei fazendo com um tatuador, Henrique Brandão , que já tinha colocado um outro piercing em mim, um megabel na orelha. Conheci Henrique através de um folder que peguei na Avenida Cde. da Boa Vista. Eu e meu namorado estávamos querendo colocar um piercing e saímos de casa decididos a isso, pegamos o primeiro folder que nos entregaram e fomos no local conhecer. O estúdio era super limpo e organizado e além de 'nos furarmos', conhecemos o trabalho de Henrique e, desse momento em diante, ele virou meu tatuador. Antes de fazer minha segunda tatuagem levei mainha para refazer a sobrancelha e só confirmei a qualidade do trabalho dele, porque o coverup (cobertura de tatuagem) ficou perfeito e mainha arrasa com a sobrancelha dela por onde ela anda.
Hoje em dia tenho 13 tatuagens onde 12 foram feitas por Henrique, não é porque são minhas e dele não, mas elas são lindas, viu?! A grande maioria são trechos de poemas/músicas porque para tatuar alguma coisa que vai ficar para sempre no meu corpo tem que ser algo muito importante na minha vida. Nada de tatuar estrelinhas e tribals e borboletas só porque é modinha. Comigo não! Pra ficar na minha pele tem que ser algo que tenha significado pra mim, algo que eu vá gostar pra sempre, por isso tatuo versos dos meus poemas preferidos, o nome da minha mãe, gatos, que são minha cara metade, coisinhas assim.
('Os amarelos riem amarguras')
Para ilustrar esse post vou colocar duas fotinhas: a primeira tatuagem com Henrique, em 2009, e a última é mais recente, coisa de duas semanas. A primeira foi uma flor com um verso de um poema de Florbela Espanca (foto acima), o nome do poema é Crisântemos e é o meu favorito dela, aliás Florbela é minha poeta/poetiza favorita. A última é uma declaração de amor a mim mesma e a minha preferida do momento, a foto nem precisa de legenda :)

Agora vou fazer a propaganda do meu tatuador para quem se interessar pela arte da tatuagem com qualidade e segurança:

Old Skull Tattoo - Henrique Brandão
Endereço: Rua José de Alencar, Edifício Ambassador, 103-A, Boa Vista
Telefone: 3077-8664 / 8789-4732

Quem quiser conhecer mais sobre a arte dele pode dar uma lida nessa matéria.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Layout: Bia Rodrigues | Tecnologia do Blogger | All Rights Reserved ©